Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility
 
Buscar
  • Rafael Moura

Time de futebol de cegos do DF segue preparação para o Brasileirão

Equipe da ADEF enfrentou time de Goiás em amistoso preparatório para o Campeonato Brasileiro da modalidade, no começo de novembro.

Foto: Lucas Rodrigues/ADEF

Na noite dessa sexta-feira, 16, o time de futebol de cegos da ADEF jogou contra a equipe da ACELGO. O jogo serve como preparação para o principal campeonato do ano: a Série A do Campeonato Brasileiro que ocorre de 6 a 13 de novembro, no CT Paralímpico Brasileiro, em São Paulo.

Jefferson Cavalcante, 32 anos, foi autor do único gol da ADEF e acredita que o amistoso foi importante, contra uma equipe de qualidade. “É sempre importante fazer jogos difíceis como esse para a gente saber realmente o que precisamos melhorar. O time deles é qualificado, conta com um jogador de seleção, e mesmo assim jogamos bem, principalmente na defesa”, afirmou o jogador.

Jefferson começou a perder a visão com 18 anos, sete anos depois, em 2015, perdeu quase completamente a visão por conta de uma distrofia da retina, o que fez com que ele enxergasse apenas a claridade e vultos. Dois anos depois, o jogador conheceu o esporte por conta da psicóloga da mãe, que o apresentou para o treinador da equipe, Marcelo Ottoline.

Marcelo Ottoline ressalta que a proximidade da cidade com Goiânia é um ponto positivo para as duas equipes que estarão juntos no torneio nacional. “Ter um adversário que proporcione amistosos de alto nível é muito importante, é uma ação que buscamos fazer recorrentemente para preparar os jogadores das duas equipes”, completou.

O jogo foi acompanhado pelo Secretário Nacional do Paradesporto, Antônio Guedes. Ele ficou entusiasmado com o alto nível técnico do amistoso acredita que é importante dar oportunidade de pessoas com deficiência praticarem uma atividade física. “A pessoa deficiente, antes de tudo, tem direito ao esporte, seja como lazer ou competitivamente. O esporte paralímpico gera uma visibilidade, que incentiva outros deficientes a prática esportiva e nesse amistoso estamos observando que a ADEF está no caminho certo”, ressaltou.


O jogo

O Primeiro tempo começou acirrado. A ADEF atacou mais vezes, mas sem sucesso. No segundo tempo já se iniciou com gol da ACELGO com Wallison acertando a pontaria. Minutos depois, Jefferson não deixou barato e também fez o seu. Em caráter amistoso, as equipes seguiram fazendo testes, mas nenhum gol foi marcado.

Foto: Lucas Rodrigues/ADEF

O paradesporto da ADEF conta com o patrocínio da Loterias Caixa e o apoio do Governo Federal. O projeto permite a aquisição de equipamentos necessários, acompanhamentos de nutricionista, fisioterapeuta, psicólogo, uniformes para treinos e jogos.


Por: Rafael Moura

0 visualização0 comentário